daqui ſe formão os verbos ſem articulos, vt ypoêr
  foy ja, ou paſſou ja, xepoêr, ndepoêr, ypoêr, tecó-
  aîba, paſſouſe á maldade, Irâm, ſerá, ou ha de ſer,
  xerâm, nderâm, yrâm.
¶ Formãoſe deſta maneira ( tirados os infinitiuos q̃
  tẽ ſua formação propria nos præteritos, vt in Cõ-
  jugationes ) mas nos futuros alẽ de ſua propria po-
  dẽſe formar como todolos mais,vt ſupra fol.
Os que tem accento na vltima fazem, poéra, ráma,
  vt tobâ, tobâpoèra, tobâráma.
Os que tẽ accento na penultima mudão a vltima vo-
  gal em oêra, oâma, vt óca, ócoéra, ocõáma.
Se tem, b. na vltima ſyllaba mudãono em, g. vt -
  ba, Tugoêra, Tugoãma.
Se tem n. r. acrecentão no futuro, ma, ſomentes, vt
  mèna, menâma, jára , jaráma.  No præterito vt
  reliqua,lembreſe á regra do m. n. til,ſup.fol.

                Do vſo deſtes futuros.

 E Stes futuros ſignifição, o que ha de ſer, & o que
   auia de ſer. Aprimeira he clara xejáráma, meu
  ſñor que ha de ſer. Para a ſegunda ainda que ſe
  fale de couſas paſſadas não ſe tem reſpeito ſenão
  ao tempo em que auião de ſer,& não ao preſente,
  ou præterito, vt, ſe Pedro ontem não hera meu
  ſñor, & fez algũa couſa, não diguo eu, oje Pedro
  meu ſñor fez iſto, ſenão Pedro meu ſñor que auia
  de ſer, porque quando o fez, não hera meu ſñor,
  Pedro xeráma.  Meu pay que morreo diſſe tal,
  diſſe, Meu pay que auia de morrer diſſe tal,porq̃